Pular para o conteúdo principal

Análise: Redemption Reapers

- Já tem um tempinho desde a última vez que passei por aqui para deixar uma análise, não é mesmo? O tempo estava corrido, mas dei meus pulos para trazer mais uma até vocês. O jogo em questão me deu trabalho e bota trabalho nisso para analisar e por isso acabei atrasando, mas antes que eu comece a dar algum spoiler, confira os motivos ao ler a review abaixo, ok?! Ah, e antes que eu me esqueça, quero agradecer a Stride PR, que em nome da Binary Haze Interactive, nos cedeu a chave do jogo para tornar possível essa análise.

Sobre o Jogo:

- Redemption Reapers é um RPG de estratégia desenvolvido pela Adglobe e publicado pela Binary Haze Interactive no dia 22 de fevereiro de 2023 para as plataformas Nintendo Switch, PlayStation 4 e PC (Steam).

- A começar pelo visual, ele não é primoroso, mas se sai muito bem na versão de Switch. Os personagens são bem feitos e os cenários bem construídos, mas meio genéricos em alguns aspectos, já as cutscenes são bem animadas e, embora tenha chegado a ver alguns defeitinhos, não foram nada preocupantes ao ponto de me incomodar durante a jogatina.

A trilha sonora é boa e causa certa empolgação durante as batalhas contra as diversas hordas de inimigos. A história é um pouco genérica, onde temos um grupo de heróis (Ashen Hawk) combatendo os Morts, seres brutais e implacáveis que surgiram subitamente pela terra e descem sobre as civilizações, deixando destruição em seus ataques noturnos. Já os personagens, temos o quinteto principal: Sarah (Ladina), Glenn (Guerreiro/Cavaleiro), Lugh (Lanceiro), Karrem (Arqueira) e Urs (Bárbaro). Mas eventualmente, em algumas missões, você terá Socius (Arqueiro) e Rowen (Guerreiro/Cavaleiro) como integrantes do grupo, porém, eles são controlados pela máquina e tem a inteligência de um broto de feijão, o que é bem diferente dos inimigos, que até combam ataques para te derrubar.


Gameplay:

- Agora, aqui as coisas começam a ficar preocupantes, pois se você não é um profundo apreciador de RPG's táticos, vai acabar dropando fácil fácil este game, isso porque ele é extremamente punitivo, e já desde o começo. Redemption Reapers conta com um sistema de níveis e talentos, sejam passivos ou não, assim como em todo RPG, mas os personagens só adquirem a experiência para avançar de nível caso façam alguma coisa durante o combate, ou seja, se você ataca mais com um personagem, ele ganhará mais experiência que os demais e se deixar de atacar com um deles durante o combate, ele não ganhará sequer um mísero ponto de experiência. No entanto, assim que você conclui uma missão, ganha um pequeno bônus de experiência, que é bem pouco mesmo, então tire o sorriso da cara que pode ser alocado em um ou vários personagens diferentes na aba de treinamento entre as batalhas, então, use esses pontos sabiamente.

- Mas se você acha que já acabou, se prepare, porque tem mais. Os personagens têm poucos pontos de vida, e possuem uma quantidade de poções para se curar bem limitada, uma para cada e, o que deveria ser a solução para esse problema, na verdade só piora, pois, para poder encher novamente o frasco de uma poção que já foi gasta é necessário que o personagem em questão se desloque até determinados pontos no mapa para recuperá-los. Mas agora você deve estar se perguntando qual seria o problema, e eu te explico: O jogo é tático, os personagens tem movimentos limitados e se movem em turnos, ou seja, imagine a situação em que você inicia um combate já com um desses pontos de cura próximos do seu grupo. No início da batalha você não precisa de cura a menos que faça alguma burrada, então irá passa pelos inimigos até o outro lado do mapa, e lá você começa a precisar recuperar sua vida e as poções gastas. Tendo isso em mente, é muito problemático ter que deslocar um dos seus personagens até lá só para se curar e depois reagrupar passando pelo mesmo caminho tudo de novo, perdendo vários turnos no processo. A única coisa realmente boa nesses pontos de cura, chamados de veios, é que além de encher o frasco de cura, ele também preenche completamente a vida do personagem.


- Outra coisa que normalmente acontece e me deixou bastante revoltado é a quantidade absurda de inimigos por cenário e a quantidade de reforços que chegam ao mapa para ajudá-los. É muito frustrante quando você está quase vencendo um grupo de inimigos depois de ter montado uma estratégia para chegar ao objetivo da missão, com o mínimo de baixas possível, e aparecem do nada reforços para o lado deles. E digo mais! Não é somente uma vez, mas sim, várias. Isso te obriga a gastar sem necessidade a durabilidade das armas já que muitos deles não podem ser evitados.

O game também possui um sistema de contra-ataques e ataques em sequência, que são bem interessantes:

- Os ataques em sequência funcionam mais ou menos como os chain attacks em Xenoblade Chronicles, ou seja, é um combo que os personagens aplicam nas unidades inimigas, mas neste caso, precisam estar cercando o alvo. Então, desde que você esteja com pelo menos dois personagens bem posicionados em torno do alvo, pode bater com os dois antes que o inimigo em questão efetue um contra-ataque em você.

- Os contra-ataques são uma maneira a mais para te punir, onde mesmo quando você bate, também apanha. Aqui, toda vez que você ataca um inimigo, recebe um ataque na volta e, da mesma forma, se você receber um ataque do inimigo, seu personagem sempre irá contra atacar, desde que seja possível. O ponto interessante aqui, é que é possível evitar contra-ataques com certas habilidades de personagens, então explore isso! Também é possível esquivar-se dos golpes caso tenha um pouco de sorte.


- Por último, a cereja do bolo. O jogo possui um sistema de quebra de armas e, acredite, elas quebram com uma facilidade incrível! Mas o grande “x” da questão dessa mecânica no jogo, não é o fato das armas se quebrarem, mas sim o problema que você tem para concertá-las, pois excluindo o capítulo 3, onde te é apresentado o comerciante onde você pode concertar, comprar, vender ou aprimorar equipamentos, você não ganha mais gold em nenhum momento do jogo! Todo o dinheiro que você adquire ao longo da gameplay a partir daí, é fruto dos itens que você vai achando ou dropando para vender no comerciante e como se isso já não fosse um problema, o valor cobrado para reparar as armas é muito alto, mesmo para armas iniciais. Mas em quê isso acarreta? Bem, isso faz com que você evite ao máximo os combates, enfrentando inimigos somente quando extremamente necessário, além de explorar pouco os cenários. Tudo isso acaba te fazendo conseguir menos itens para vender e menos experiência para subir de nível os personagens, além de te deixar com o c# na mão o tempo todo, pois se a durabilidade da sua arma acabar durante a luta, você dará pouco ou nenhum dano ao inimigo e vai acabar morrendo ou demorando mais que o necessário para passar da missão.

- Sim, mesmo diante de toda essa dificuldade, eu gostei do jogo (está é a parte em que você me chama de doido), mas cada um é cada um! Eu já estou acostumado com o gênero e posso dizer com toda certeza que já fazia um bom tempo que um jogo de estratégia me fez pensar tanto, mas e você, está preparado? Vale lembrar que o jogo roda liso na Switch, ocupa apenas 7,5GB de espaço no seu Micro SDXC e está completamente localizado em português, o que facilita e muito a jogatina. Além disso,  apesar de estar saindo por R$214,00 na eShop brasileira, o jogo com certeza vai te dar horas e mais horas de gameplay, pois dificilmente você passará de primeira de 100% dos cenários e com certeza vai querer rejogar para encontrar novas maneiras de passar menos aperto nos combates. 

- Para comprar o Nintendo Switch, basta clicar aqui;
- Para comprar os jogos, clique aqui;
- Para comprar outros produtos, clique aqui.
- Para promoções de jogos na eShop, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sousou no Frieren: Mangá entra em hiato por tempo indeterminado!

- Segundo a edição mais recente da revista Shonen Sunday , o mangá Frieren e a Jornada para o Além ( Sousou no Frieren ) entrou em hiato, sem previsão de retorno. O premiado mangá é serializado desde abril de 2020 na revista Weekly Shonen Sunday , com nove volumes encadernados até então pela Shogakukan . - A título de curiosidade, a obra é escrita por Kanehito Yamada e ilustrada por Tsukasa Abe , além disso, já tem uma adaptação em anime anunciada para estrear este ano. No Brasil, o mangá é publicado pela editora Panini . Você pode conferir a capa do primeiro volume abaixo: Sinopse: A história depois de um grupo de heróis terem derrotado o Rei Demônio. Você acompanhará Frieren, uma elfa diferente dos seus três companheiros de viagem. Você verá o que ela viveu no mundo, o que ela sentiu depois da aventura ter terminado. E ainda, sua relação com os que ficaram e o que seria a oração para os mortos... “Essa história começa depois que a aventura termina”. “Uma fantasia pós-aventura que

Nintendo Switch: Como Solucionar O ERRO 9001-2470!

(Imagem Ilustrativa.) - Se você é dono de um Nintendo Switch, com certeza já passou por esse problema ou ficou sabendo de alguém que tenha passado em algum momento, não é mesmo? Pois bem, para você que ainda não passou por isso (como eu) e que ainda não sabe do que se trata, eu te explico. O erro em questão ocorre quando você tenta comprar um jogo, seja na eShop BR ou numa eShop gringa, utilizando um cartão de crédito. - A mensagem recebida pelos usuários que já relataram passar por esse problema, é:  " Código de erro: 9001-2470 Não é possível usar este cartão de crédito. " e como são muitas as pessoas tendo problemas com esse maldito erro, cá estou para tentar ajudar você a gastar seu suado dinheirinho com a Nintendo caso isso também esteja lhe causando transtornos. - Antes de mais nada, é importante ressaltar que a Nintendo já está ciente do problema e fornece ajuda aos seus usuários através do suporte online em seu próprio site oficial e que o problema não acorre somen

Unnamed Memory tem adaptação em anime anunciado!

-  Foi anunciado recentemente pela Kadokawa que a série de light novels " Unnamed Memory " ganhará uma adaptação para anime em 2023. Naturalmente, um trailer e mais detalhes foram revelados. - " Unnamed Memory " terá direção de Kazuya Miura (" Uzaki-chan Wants to Hang Out! "), roteiro de Deko Akao (" The Case Study of Vanitas "), design de personagens por Chika Nomi (" Kemono Michi: Rise Up ") e a trilha sonora está por conta de Akito Matsuda (" Sound! Euphonium "). O estúdio responsável é o ENGI . - A título de curiosidade, " Unnamed Memory " é uma série de light novels escrita por Kuji Furumiya , inicialmente publicada em 2008 de forma independente pela autora. Em 2012, ela começou a publicar a série no site Shosetsuka ni Naro e em 2019 os livros começaram a ganhar uma versão impressa pela Kadokawa . A série de light novels possui seis volumes ao todo e sua adaptação em mangá está em publicação desde 2020. -