Pular para o conteúdo principal

[Análise]: Worldless

- Pois bem, depois de um curto período meio conturbado pelos eventos de fim de ano, retornei com força total (ou quase isso), bastante empolgado para jogar algo novo, e hoje, estou aqui para apresenta-lo a vocês. Passei algumas horas explorando e combatendo criaturas em um universo recém criado! Porém, antes de começarmos a falar bastante sobre ele, gostaria de agradecer a publisher Coatsink e a desenvolvedora Noname Studios por terem me fornecido, através do KeyMailer, uma cópia da chave e permitido que essa análise acontecesse.

Sobre o Jogo

Worldless é um jogo de plataforma, ação e aventura desenvolvido pela Noname Studios e publicado pela Coatsink para as plataformas Nintendo Switch, PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X|S, Xbox One e PC (Steam e Epic Games Store) no dia 21 de novembro de 2023.


- A começar pelos gráficos, bem, são um dos pontos mais fortes de Worldless! Desde o menu na tela inicial, que possui efeitos visuais muito legais aos cenários que também são muito bem construídos e cheios de pequenos efeitos como plantas surgindo pelo caminho e pétalas caindo do céu, o game facilmente irá te encher os olhos — Ah! os personagens são bem feitos e criativos. A trilha sonora num geral é ok e consegue transmitir a atmosfera do jogo ao jogador.

- Em Worldless você assume o controle de uma estrela azulada acompanhada de mais alguns "astros" (não sei diszer se também são estrelas, porém menores ou qualquer outro tipo de corpo celeste), em um universo recém criado. Os movimentos do seu personagem se assemelham ao de uma pessoa, mas a sua aparência lembra muito uma constelação de estrelas, mas no fim, o que se pode dizer é que ele ou ela está vivo e seu objetivo resume-se a batalhar, absorver e crescer.


- O personagem em questão possui uma espada e um escudo, o qual utilizamos nos combates em turnos que são bem peculiares, pois nos dão apenas alguns segundos para executarmos as nossas ações. Já que tocamos nesse ponto, em nosso turno podemos utilizar ataques físicos, mágicos ou uma combinação dos dois para gerar alguns combos e assim destruirmos o escudo dos inimigos para causar dano, porém, da mesma forma que nós, os inimigos podem usar os dois tipos de ataque (combinados ou não) para nos acertar e cabe a nós utilizarmos o tipo de escudo apropriado para cada golpe, pois o escudo físico só bloqueará danos físicos e o escudo mágico apenas golpes mágicos.

- Também é importante dizer que o mapa lembra um pouco os que encontramos em jogos do gênero metroidvania, mas o caminho não é infestado por inimigos. Agora você deve estar se perguntando: "Como assim não é infestado de inimigos?", não é mesmo? Bem, a verdade é que o foco do jogo parece ser mais na exploração e você eventualmente acabará encontrando inimigos, mas existe um pequeno detalhe aqui, pois não basta apenas derrotá-los, você precisa absorvê-los! Se você apenas os derrotar, eles permanecerão no mapa e não te darão recompensa alguma por fazer isso, mas se você os absorver, além de um ponto para ser utilizado na sua árvore de habilidades, você extinguirá aquele inimigo e ele não mais aparecerá no mapa, ou seja, sem respawn.


- O mapa se assemelha a uma grande constelação, onde os pontos que são interligados por linhas são os nossos oponentes, e o seu tamanho é razoavelmente grande, pois existem muitos lugares a serem visitados. O único problema aqui é que esse formato de mapa torna-se meio inútil em alguns momentos e isso acontece porque o nosso caminho não é em linha reta, ou seja, possui altos e baixos, plataformas a serem alcançadas e buracos a serem pulados, mas no mapa todo esse caminho é representado apenas por uma linha que liga um ponto a outro. Falando de forma mais simplificada, embora seja um mapa visualmente bonito e que facilita identificarmos onde foi que deixamos para trás algum inimigo sem absorver, ele não mostra uma localização muito precisa do personagem.

- Agora vamos à minha opinião. O jogo roda liso no console, está localizado em português e não encontrei nenhum problema técnico com ele até onde pude jogar. No entanto, como já citado, o mapa é relativamente grande e o jogo não tem fast travel, o que torna meio cansativo e sem graça passar pelas áreas já visitadas já que não haverão inimigos para se enfrentar caso já os tenha absorvido.

- No mais, Worldless possui um preço que na minha opinião é justo se considerarmos o espetáculo visual que ele proporciona somado com o tempo de horas jogadas, o espaço ocupado em seu Micro SDXC é de apenas 1,9GB, então não precisa se preocupar com espaço. Meu veredito? Posso dizer que VALE A MINHA RECOMENDAÇÂO. Agora, quero que me digam o que acharam desse jogo, pois sua opinião é extremamente importante para nós.

- Para comprar o Nintendo Switch, basta clicar aqui;
- Para comprar os jogos, clique aqui;
- Para comprar outros produtos, clique aqui;
- Para promoções de jogos na eShop, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nintendo Switch: Como Solucionar O ERRO 9001-2470!

(Imagem Ilustrativa.) - Se você é dono de um Nintendo Switch, com certeza já passou por esse problema ou ficou sabendo de alguém que tenha passado em algum momento, não é mesmo? Pois bem, para você que ainda não passou por isso (como eu) e que ainda não sabe do que se trata, eu te explico. O erro em questão ocorre quando você tenta comprar um jogo, seja na eShop BR ou numa eShop gringa, utilizando um cartão de crédito. - A mensagem recebida pelos usuários que já relataram passar por esse problema, é:  " Código de erro: 9001-2470 Não é possível usar este cartão de crédito. " e como são muitas as pessoas tendo problemas com esse maldito erro, cá estou para tentar ajudar você a gastar seu suado dinheirinho com a Nintendo caso isso também esteja lhe causando transtornos. - Antes de mais nada, é importante ressaltar que a Nintendo já está ciente do problema e fornece ajuda aos seus usuários através do suporte online em seu próprio site oficial e que o problema não acorre somen

Sousou no Frieren: Mangá entra em hiato por tempo indeterminado!

- Segundo a edição mais recente da revista Shonen Sunday , o mangá Frieren e a Jornada para o Além ( Sousou no Frieren ) entrou em hiato, sem previsão de retorno. O premiado mangá é serializado desde abril de 2020 na revista Weekly Shonen Sunday , com nove volumes encadernados até então pela Shogakukan . - A título de curiosidade, a obra é escrita por Kanehito Yamada e ilustrada por Tsukasa Abe , além disso, já tem uma adaptação em anime anunciada para estrear este ano. No Brasil, o mangá é publicado pela editora Panini . Você pode conferir a capa do primeiro volume abaixo: Sinopse: A história depois de um grupo de heróis terem derrotado o Rei Demônio. Você acompanhará Frieren, uma elfa diferente dos seus três companheiros de viagem. Você verá o que ela viveu no mundo, o que ela sentiu depois da aventura ter terminado. E ainda, sua relação com os que ficaram e o que seria a oração para os mortos... “Essa história começa depois que a aventura termina”. “Uma fantasia pós-aventura que

Tudo o que você precisa saber sobre os cartões Micro SD!

- Resolvi deixar um pouco de lado as notícias sobre games para ganhar uma quantidade razoável de tempo a mais para ser capaz de produzir alguma coisa que fosse útil a vocês para facilitar suas compras e evitar prejuízo comprando a coisa errada ou algo do tipo, então, cá estou para falar sobre os cartões Micro SD. Muita gente andou me perguntando como saber quais são os melhores para se utilizar nos nossos queridos consoles e eu não podia deixá-los na mão. - Pois bem, antes de mais nada, é preciso que você entenda o que significa o termo Micro SD e quais os tipos diferentes de cartões existentes, então, confira as informações abaixo: Micro SD (Secure Digital): São cartões que variam de 4MB a 2GB de capacidade; Micro SD HC (Secure Digital High Capacity): São cartões que variam de 4GB a 32GB de capacidade; Micro SD XC (Secure Digital Extended Capacity): São cartões que variam de 64GB ao infinito e além. *Na prática, isso serve para que você saiba identificar onde vai colocar o cartão,