Pular para o conteúdo principal

[Análise]: Prince of Persia The Lost Crown


- Sei que muita gente está ansiosa por este jogo e gostaria de saber a opinião de algumas pessoas antes de decidir efetuar ou não sua compra, então, estou aqui para apresenta-los ao metroidvania da vez. Passei os últimos dias jogando Prince of Persia: The Lost Crown para poder transmitir minha opinião a vocês e manter minha paixão por metroidvanias acesa e brilhando ainda mais forte! Porém, antes de continuarmos, gostaria de agradecer a publisher e também desenvolvedora Ubisoft por me fornecer uma cópia da chave e permitido que essa análise fosse possível.

Sobre o jogo

- Prince of Persia: The Lost Crown é um metroidvania de ação e aventura desenvolvido pela Ubisoft Montpellier e publicado pela Ubisoft para as plataformas Nintendo Switch, PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X|S, Xbox One e PC (Epic Games Store, Ubisoft Store e Luna) no dia 18 de janeiro de 2024.

- A começar pelos gráficos, o jogo conta com um visual 2D muito bonito, com personagens bem produzidos e uma ambientação impecável. Já no quesito trilha sonora, o jogo não deixa a desejar, pois nos mantém completamente imersos com faixas que casam muito bem com os momentos de ação, deixando o jogador cada vez mais empolgado.

- Aqui você joga na pele de Sargon, um espadachim habilidoso pertencente a um grupo de heróis conhecidos como Imortais, guerreiros responsáveis pela proteção da Pérsia. A trama começa logo após o sequestro do príncipe, onde seguimos o grupo de sequestradores até o monte Qaf, local de onde o antigo Rei Darius reinava na época de ouro e mantinha a prosperidade na região. Logo de cara é possível percebermos que o espaço-tempo no local não funciona como deveria, nos fazendo usar o Athra para passar pelos vários desafios presentes durante a jornada. Em suma, a história do jogo é atraente, com algumas reviravoltas empolgantes ocorrendo em alguns momentos e trechos onde aprendemos um pouco mais sobre a mitologia do jogo.


Gameplay

- Se você é do tipo de pessoa acostumada a usar poderes para passar por cima dos inimigos, saiba que em Prince of Persia: The Lost Crown não é bem assim que funciona. Embora o jogo te ofereça alguns poucos poderes especiais, o foco durante as lutas é um rack and slash centrado em combos, onde você aprimorar seus combos com uma combinação variada de habilidades únicas presentes nos seus amuletos para ganhar vantagem sobre os inimigos.

- O jogo claramente não é um RPG, você não cria seu personagem do zero, não possui nível, não tem árvore de talentos, não tem uma variedade enorme de armas, mas pode melhorar seu par de espadas, amuletos e arco e flecha utilizando as moedas do jogo, além de adquirir alguns poderes especiais (Sete no total) que você pode utilizar apenas dois por vez e só podem ser equipados/trocados em um ponto de salvamento (árvores Wak-Wak) assim como os amuletos. E já que tocamos no assunto, o diferencial durante os combates são justamente eles, os amuletos, pois nos concedem diversas habilidades especiais, como maior quantidade de dano em combos no chão ou no ar, cura de vida quando aparamos um golpe com sucesso, número de golpes a mais no combo, entre outros.

- Os amuletos são equipados nos espaços disponíveis em seu colar e a quantidade de espaços pode ser aumentado ao longo do jogo, seja comprando a melhoria num vendedor ou encontrando em algum baú perdido pelo mapa. E já que estamos falando deles, os baús estão devidamente escondidos pelas diversas áreas do mapa, que é gigantesco, e te dão itens bastante úteis, como espaços a mais no colar, amuletos, aprimoramentos para aumentar a barra de vida, aumento na quantidade de fotos que você pode tirar pelo mapa, entre outros.


- As fotos mencionadas anteriormente são recursos interessantes para evitar que os jogadores percam tempo tentando lembrar o que é que tinha naquele ponto que marcaram no mapa, fazendo com que não se frustrem percorrendo uma grande distância até lá para no fim não terem o que era preciso para pegar o que foi deixado para trás.

- Agora, voltando nossos olhos para o combate do jogo, posso dizer que é muito recompensador. Sargon possui uma variedade muito boa de golpes, possibilitando diversos combos diferentes nos vários tipos de inimigos presentes pelo mapa. Os inimigos não são super fáceis de se vencer, pois também aparam e esquivam de golpes, necessitando que você tenha um mínimo de habilidade para passar por eles, e não, não adianta querer passar correndo por eles já que vão correr atrás de você e golpeá-lo algumas vezes durante sua tentativa de fuga.

- Além do combate recompensador e exploração satisfatória, temos alguns trechos de puzzles no jogo, que num geral têm dificuldade mediana para fácil, mas são bem criativos, diga-se de passagem.


- Com relação ao desempenho do jogo, presenciei apenas um ponto do mapa onde a queda de quadros era evidente, mas era um local sem inimigos, onde passei rapidamente para chegar a outro dos meus pontos de interesse no mapa, mas num geral, o jogo rodou lisinho. Não encontrei bugs durante a minha jornada no jogo e o fato dele ser completamente localizado em português facilitou demais o entendimento dos objetivos e da história do jogo, que como mencionado em algum momento desta análise, é muito atraente. O jogo também possui uma boa acessibilidade, com vários níveis de dificuldade e a possibilidade de você mesmo customizar a dificuldade, o que é muito legal e facilita a vida daqueles que não são muito habilidosos nessa vida de passar por cima de inimigos na base dos combos e escapar de trechos cheios de armadilhas sem perder metade da vida ou acabar morrendo nelas.

O trailer de lançamento do jogo pode ser assistido a seguir:


- No mais, na minha opinião, o jogo possui um preço justo, pois esbanja qualidade e muitas horas de jogatina, além de possuir uma demo e ocupar um espaço relativamente pequeno em seu Micro SDXC, apenas 6,4GB, então não precisa se preocupar. Meu veredito? Posso dizer sem medo que VALE A MINHA RECOMENDAÇÂO. Agora, quero que me digam o que acharam desse jogo, pois sua opinião é extremamente importante para nós.

- Para comprar o Nintendo Switch, basta clicar aqui;
- Para comprar os jogos, clique aqui;
- Para comprar outros produtos, clique aqui.
- Para promoções de jogos na eShop, clique aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sousou no Frieren: Mangá entra em hiato por tempo indeterminado!

- Segundo a edição mais recente da revista Shonen Sunday , o mangá Frieren e a Jornada para o Além ( Sousou no Frieren ) entrou em hiato, sem previsão de retorno. O premiado mangá é serializado desde abril de 2020 na revista Weekly Shonen Sunday , com nove volumes encadernados até então pela Shogakukan . - A título de curiosidade, a obra é escrita por Kanehito Yamada e ilustrada por Tsukasa Abe , além disso, já tem uma adaptação em anime anunciada para estrear este ano. No Brasil, o mangá é publicado pela editora Panini . Você pode conferir a capa do primeiro volume abaixo: Sinopse: A história depois de um grupo de heróis terem derrotado o Rei Demônio. Você acompanhará Frieren, uma elfa diferente dos seus três companheiros de viagem. Você verá o que ela viveu no mundo, o que ela sentiu depois da aventura ter terminado. E ainda, sua relação com os que ficaram e o que seria a oração para os mortos... “Essa história começa depois que a aventura termina”. “Uma fantasia pós-aventura que

Nintendo Switch: Como Solucionar O ERRO 9001-2470!

(Imagem Ilustrativa.) - Se você é dono de um Nintendo Switch, com certeza já passou por esse problema ou ficou sabendo de alguém que tenha passado em algum momento, não é mesmo? Pois bem, para você que ainda não passou por isso (como eu) e que ainda não sabe do que se trata, eu te explico. O erro em questão ocorre quando você tenta comprar um jogo, seja na eShop BR ou numa eShop gringa, utilizando um cartão de crédito. - A mensagem recebida pelos usuários que já relataram passar por esse problema, é:  " Código de erro: 9001-2470 Não é possível usar este cartão de crédito. " e como são muitas as pessoas tendo problemas com esse maldito erro, cá estou para tentar ajudar você a gastar seu suado dinheirinho com a Nintendo caso isso também esteja lhe causando transtornos. - Antes de mais nada, é importante ressaltar que a Nintendo já está ciente do problema e fornece ajuda aos seus usuários através do suporte online em seu próprio site oficial e que o problema não acorre somen

Unnamed Memory tem adaptação em anime anunciado!

-  Foi anunciado recentemente pela Kadokawa que a série de light novels " Unnamed Memory " ganhará uma adaptação para anime em 2023. Naturalmente, um trailer e mais detalhes foram revelados. - " Unnamed Memory " terá direção de Kazuya Miura (" Uzaki-chan Wants to Hang Out! "), roteiro de Deko Akao (" The Case Study of Vanitas "), design de personagens por Chika Nomi (" Kemono Michi: Rise Up ") e a trilha sonora está por conta de Akito Matsuda (" Sound! Euphonium "). O estúdio responsável é o ENGI . - A título de curiosidade, " Unnamed Memory " é uma série de light novels escrita por Kuji Furumiya , inicialmente publicada em 2008 de forma independente pela autora. Em 2012, ela começou a publicar a série no site Shosetsuka ni Naro e em 2019 os livros começaram a ganhar uma versão impressa pela Kadokawa . A série de light novels possui seis volumes ao todo e sua adaptação em mangá está em publicação desde 2020. -